Moda Alternativa ficando Mainstream? Hmm... Sei não...

domingo, agosto 18, 2013

Kibe do tumblr da Shelby, é o quarto dela se não me engano
A ideia desse post me surgiu quando refletia da história que a Angela (Yep, a moça dessa postagem) me falou que um estranho reconheceu ela da TV enquanto estava no supermercado, e perguntou sobre moda oriental (e no lugar de ela responder o cara correu de vergonha, detalhes), e essa postagem que li recentemente no Moda de Subculturas sobre a moda mainstream estar adotando itens como spikes e caveiras, antes exclusivos da cultura dark para a moda (cheio de paetês, glitter e em cor rosa, para meu desgosto). Comecei a refletir, até porque isso de certa maneira sempre incomodou.

Não sei nem se incomodo é a palavra certa. É bom ver pessoas interessadas em aprender sobre moda oriental e grandes grifes adotarem temáticas de subculturas alternativas para as tendencias da moda mainstream. Isso acaba "divulgando" e "normalizando" um pouco para as "pessoas comuns" as nossas temáticas exageradas, e elas passam a adotar isso com mais naturalidade, a ponto de te perguntar onde você comprou aquela bolsa com formato de coração que você usa nos seus outfits lolita. Porém, por outro lado, eles meio que destroem o awesomeness de tudo, como no caso das caveiras e spikes que citei ai em cima.

E pelo visto as próximas vitimas serão o street fashion e alternative fashion oriental. Quando fui fazer aquela entrevista notei o interesse exacerbado das pessoas por isso. Acham Gyaru, Pastel Goth, Yamamba, Creepy Cute, Fairy Kei e Fruits daora. Vi algumas dessas fotos dessas modas naquele tablet que a apresentadora estava mostrando no video da entrevista (mas estava tão nervosa que não soube discernir). E agora que as tendencias do Uzzlangs estão em alta, vão fazer a moda oriental ganhar mais destaque na mídia por terem chamado atenção do mainstream.

Se por um lado isso é bom por que vai divulgar e "acostumar" as pessoas para nosso mundo de exageros, por outro fico com aquele sentimento egoísta de hipster esperando ver como vão foder com tudo, porque sempre fodem a porra toda de algum jeito. O exemplo das spikes é o melhor que posso citar. Originalmente não era muito fã de spikes em si na subcultura rocker, mas o mainstream incrivelmente conseguiu piorar tudo. Sim, detesto aquelas tiaras, sandálias e bijoterias com spike, acho incrivelmente horrível. É como se a cultura mainstream conseguísse adaptar elementos da cultura alternativa da pior maneira possível. Ou as pessoas gostassem tanto que quisesse se entupir dos acessórios de todas as maneiras possíveis no outfits, como no caso de um que vi onde a pessoa estava usando um anel, colar e blusa com aqueles bigodes que estavam na moda até um tempo atrás *ou ainda estão*.

Moda mainstream por influenciar na cabeça de tantas pessoas acaba banalizando aquilo tudo. Se tem algo que gosto, ao menos em uma certa parte dos usuários de moda alternativa, é que são uma galera de cultura. Eles param para analisar tendencias, pesquisam história da moda, pensam em crossovers, são criativos e tals. Mas não consigo ver comportamento assim naquelas pessoas que gostam de seguir a moda do momento que está na revista a risca, são fúteis ou que valorizam demais roupas de marcas e grifes famosas. Tem aquela questão de todos quererem se parecer iguais e também do alto consumismo (não é problema exclusivamente das pessoas normais, imo, em lolita já passei por uma fase assim) de você comprar muitas coisas que não usa, ou só usa uma vez.

Uma parte de me vestir de lolita é esse desejo de se diferenciar das pessoas. Mas ao mesmo tempo que quero ser diferente e ser tratada como uma pessoa normal ao sair na rua, não gostaria de ver todo o mundo usar roupas iguais as minhas, com a mesma estampa e design, talvez com outras peças de roupa que não fosse nada a ver (meio o que acontece com as spikes e caveiras). Isso é um sentimento bem egoísta de exclusivismo, se você for parar para pensar.

De minha parte, ainda vou torcer muito o nariz para essas pessoas e para a industria da moda que quer capitalizar e banalizar tudo. O lado bom de ver lojas de fast fashion produzindo itens que fazem uma releitura de temas de cultura alternativa é que dá para aproveitar nos nossos outfits. Vejo muitas Gyarus tiraram boa parte de suas roupas de lojas de departamento, afinal não é todo o mundo que pode exportar de brands nipônicas. Porém, os aspectos negativos ainda são consequências a serem analisadas, e não dá esquecer isso ao mesmo passo que as coisas mudam. Nada é perfeito no final das contas.

You Might Also Like

0 comentários

Leia antes de comentar:
Os comentários do Lightning Rose são moderados. Não serão aprovados comentários de natureza ofensiva; que não contenham nenhuma relação com o assunto da postagem; que contenham links externos de propaganda ou spam; ou que contenham números de documentos pessoais.

Para mais informações sobre como funciona a política do blog leia o FAQ.

Agradeço o seu comentário e volte sempre!

Facebook