Compras ~ Primeiro Semestre de 2014

quarta-feira, julho 02, 2014

Estava tentando tirar fotos boas, mas a câmera com a resolução podre não me ajudou muito...
Muito semelhante a checklist, tenho pouca coisa para falar aqui. Andei comprando pouco, nada além do essencial. E talvez até deixando de comprar o essencial... Mas acho que exagerei em uma coisa... Sem rodeios, aos itens.

Primeiro os itens de beleza:

Rosto

Foto com flash porque sem flash ela só piorava... 
- Cleanskin Tônico Adstringente Avon: Não curto muito esse tônico. O lado bom dele é que por ter álcool acabo conseguindo fazer uma limpeza mais profunda na pele, retirando a sujeira que não sai na hora da lavagem. O ruim é que além de o álcool ressecar a minha pele (não tanto assim o rosto, é mais nas mãos quando retiro o produto com o algodão) ele deixa uma sensação pegajosa no rosto, como se você tivesse passado um creme melequento, apesar do produto evaporar...

Sempre usei esse tônico por ser mais baratinho, mas já tá na hora de trocar de marca mesmo. :/ Até porque ele já não me ajuda mais a controlar a oleosidade.

- Leite de Colonia: Eu gosto de usar um pouco dele depois que me demaquilo para retirar a maquiagem que não sai com aquele demaquilante em creme da Avon da linha Solutions (que por sinal detesto, só o uso para acabar e passar para o meu da quem disse berenice? que mostrei na postagem de compras passada. Esses produtos gosto de abrir um só por vez até acabar). Eu poderia usar o tônico que falei acima, mas prefiro usar o Leite de Colonia para esse proposito por achar muito melhor. Ele deixa a pele bem macia após o uso apesar de desidrata-la. Costumo sempre hidrata-la depois, caso contrário minha pele acaba ficando mais oleosa.

- Máscara Facial Solutions Avon: É como se fosse uma máscara de argila, mas além de secar muito rápido, resseca a pele que é uma beleza... Acabei não gostando tanto dela, porém ainda acho melhor que aquela contra cravos da mesma marca porque pelo menos essa funciona. Dá uma acalmada na pela e ajuda um pouco a controlar a oleosidade, que anda impossível de conter com esses dias de calor de 36 graus (Sério!).

- Hidratante Labial Avon Care: O "sabor" dele é geleia real (acho que tem a ver com mel de abelha), ele é transparente e era bastante consistente... Era porque não sei o que aconteceu, acho que foi o calor que fez a formula "derreter" um pouco e ficar mais líquida. Preciso sempre tomar muito cuidado na hora que retiro da bisnaga, porque senão sai mais do que o necessário de produto.

E eu não estou gostando dele. Achei legal no começo que pelo fato de possuir protetor solar era ótimo para usar durante o dia e manter meus lábios hidratados. Mas ele deixa a boca com uma sensação pegajosa e você não fica confortável tendo aquela sensação semelhante a de "estou usando um batom". Fora que notei em certos dias quando cheguei em casa que a boca estava um pouco ardida. Olhei no espelho e percebi que ela estava um pouco queimada por causa do produto. Não comprarei novamente.

Corpo e pés

- Gel Facial e Corporal Assepxia: Detestei esse produto. Na realidade estava buscando por um esfoliante corporal de outra marca, mas acabei levando esse tentada pelo preço. Porém a primeira coisa que me desagradou logo de cara foi essa embalagem. Esse plástico é muito frágil, se cair no chão quebra e lá vai produto pela casa toda... Tenho cuidado redobrado quando manuseio essa embalagem e acabo guardando ela num local seguro para evitar desastres. Segundo foi a formula. O cheiro lembra muito aqueles de sabão regular (que usamos para lavar roupa). O gel até que é consistente, mas as partículas esfoliantes além de pequenas são muito poucas. Elas somem facilmente quando aplicadas na pele, esfoliando nada. A espuma feita é bem ralinha, você acaba tendo uma certa sensação de que não há produto ali o suficiente para esfoliar tua pele. Muito ruim mesmo.

- Neutrogena Sun Fresh: Fiquei por muito tempo chorando para comprar esse protetor solar e quando finalmente o adquiri não me arrependi. É o melhor protetor que já usei até hoje, não deixa a pele com sensação grudenta porque seca quase que instantaneamente. Tenho muita pena de usa-lo as vezes, mas é necessário. Aqui o sol está muito forte e o calor é cada mais vez maior. Mas o pior de tudo foi que nessa correria de final de semestre, sempre saindo atrasada, não tive tempo para usar nada. Por conta disso a parte do meu corpo que fica exposta ao sol (braços, pescoço e rosto), está extremamente queimada... ;-; Esse é o protetor perfeito para mim, no final do dia não fico com aquela sensação de pele grudenta de suor misturado com algum creme que passei antes. Virei fã. Ah, o meu é fator 30, mas com esse sol que anda dando na cidade talvez eu tenha que mudar para o 50. Tá impossível Fortaleza :/

Não apareceu nas fotos anteriores porque as primeiras fotos que tirei ficaram tão ruins que me vi obrigada a retirar outras. E como estava guardando esse frasco vazio somente para tirar a foto, joguei no lixo depois que o fiz e quando precisei tirar a foto de novo não tive como o recuperar. E não pretendo comprar essa fragrância ai de novo. :/
- Desodorante Jato Seco Tennys Pé: Esse frasco foi comprado pela minha mãe e ela sabe que não curto desodorante masculino (o cheiro não me agrada nenhum um pouco e as vezes me irrita o olfato). Me lembro de na postagem de compras passada ter comentado que preferia o Jato Seco ao normal. Dessa vez, notei que usando o produto não sentia como se o jato estivesse realmente fixando no meu corpo, e dai acabava colocando mais para ter essa sensação. Como resultado ele acabou rápido (e esse tubo da foto é uma garrafa vazia que não tinha joguei fora ainda porque queria tirar a foto dele antes). Voltei para o anterior (jato regular), e me sinto muito melhor agora apesar de a sensação de molhado ainda me incomodar bastante.


Livros

O exagero da vez! Tive que ir a livraria muitas vezes durante esse semestre e acabei não contendo meu impulso de comprar livros. E para piorar também não contive meu impulso online (mas é justificável, explico quando for falar sobre esses livros que comprei pela net). Não consegui ler nenhum deles durante o semestre por culpa da universidade... ;-; Estou começando a desbrava-lós agora neste período de férias.

Resolvi separar uma foto só para mostrar o que comprei do Neil Gaiman. Não nego que sou fã girl do cara e ainda preciso terminar de ler todo o Sandman. Acabei decidindo que iria fazer uma coleção das obras dele que vão dos livros aos quadrinhos e resolvi começar comprando livros por serem mais barato. O primeiro que adquiri (se não me em engano no começo de fevereiro) foi o Unnatural Creatures. Esse livro não é exatamente de autoria dele, mas sim contos de outros autores escolhidos a dedo pelo Gaiman.

O segundo foi o Neverwhere, comprada por volta do final de feveiro ou março (não tenho certeza das datas). Eu podia ter comprado a versão brasileira que foi lançada pela Conrad (e aliás, tem capa e qualidade de folhas muito superior a da minha versão). Porém peguei essa por que além de ser mais barata tomei a decisão de começar a ler obras literárias em inglês, no original, para melhorar a minha fluência na língua.

Por último foi o Oceano no fim do caminho, comprado mais ou menos em março ou abril. Queria pegar esse livro em inglês também, mas a versão portuguesa além de ser mais barata tinha uma encadernação melhor do que a versão inglesa que tinha disponível lá na livraria. É o livro que estou lendo no momento, mas como ainda estou muito no comecinho não rola ainda dar impressões sobre ele.

A Corte do Ar foi um livro que comprei no final de janeiro, sendo algo que tinha visto certa vez quando fui a livraria e não me contive até adquiri-ló. Essa resenha aqui da Bruna Camargo além do próprio Stephen Hunt que sigo nas redes sociais também me influenciaram positivamente para a compra. Cheguei a começar a ler, fui até o capítulo 8, mas não deu para continuar porque a universidade apertou me fazendo largar TUDO. A narrativa é muito linda. É cativante e detalhista. O autor constrói o universo, te emerge dentro dele e te faz querer continuar a leitura sem parar. Porém o livro acaba se tornando cansativo por ter muitos detalhes que requerem o máximo da tua atenção. Como ando com problemas de deficit de atenção, ler durante o período letivo realmente não dava certo. Preciso ler com calma e bem devagar, e tive muito pouco tempo para leituras extras além de estar esgotada físicamente. Agora é a hora perfeita de voltar para esse livro.

A Sociedade dos Meninos Gênios foi outro livro que descobri pela publicidade e acabei comprando, pois o gênero que lido é literatura fantástica/ficção cientifica/steampunk (quem me acompanha a mais tempo sabe dessa particularidade minha). Não subi muito no hype da história do livro como no caso do A Corte do Ar (Vamos lá caras! Olha a arte da capa do livro como é linda! E para variar estou esperando sair também O Reino Mais Além das Ondas que se passa no mesmo universo desse livro). Pela sinopse ela parece misturar todos aqueles clichês que são bem comuns em literatura steampunk... Mas ainda não li, não dá para falar muito. Não estou muito empolgada.

Tem mais steampunk e ficção cientifica com outros punks. Dessa vez foram compras que fiz no site da Tarja Editorial. A Tarja era uma editora que visava publicar livros com obras de autores nacionais, a qual mais ou menos em meado do final do ano passado decidiu fechar as portas. :( Essa notícia me entristeceu profundamente, afinal há poucas editoras aqui no país que trabalham somente com autores nacionais. Por consequência, elas acabam não se tornando muito conhecidas. Porém isso não é algo que desmereça o trabalho delas.

Uma coisa que me chateou da compra foi o fato de que os livros que recebi possuíam uns amassados na lombada, parece que foi consequência de alguma queda durante a transportação. Planejo fazer uma resenha dos livros e falar sobre o processo de compra em alguma postagem no site da Loja Ceará do Conselho Steampunk, o qual eu colaboro com conteúdo. Vai demorar um pouco para colocar essa postagem por lá, até porque tenho que ler os livros com calma primeiro. Devo anunciar aqui quando o fizer.

Falando dos livros, o adquiri três da editora. O Cyberpunk - Histórias de um Futuro Extraordinário, Alquimia da Pedra (livro que na sinopse diz que é Steampunk... mas pela arte da capa está mais para Clockpunk...) e o Retrofuturismo (Uma coletânea de contos de vários autores nacionais, os quais cada um escreveu um conto para um "punk" especifico). O Steampunk - Histórias de um Passado Extraordinário foi na realidade presente de uma amiga que a lezada aqui esqueceu de tirar da pilha na hora da foto. Ainda não os li, só os folhei de leve.

Agora a fotinha que fez sucesso no facebook! hehe Essa coletânea da Jane Austen que contém toda a bibliografia dela (idioma inglês, e sim, tem tudo) comprei em meados de fevereiro. A qualidade desse encadernado é muito semelhante ao do Neverwhere que mostrei ali em cima: papel jornal (esse um pouco mais fino) com capa em papel cartão mais fino. É um livro volumoso que não é pesado (é bem leve), mas é um tanto delicado de se manusear por conta da qualidade do material. Por conta do tamanho e de ser frágil não dá para andar o lendo por ai. Ao menos foi barato e agora tenho tudo da minha romancista preferida para ler de uma vez.

Quando soube do lançamento do Battle Royale no Brasil peguei um hype desgraçado. Sou muito fã do mangá embora não tenha ainda parado para assistir o filme (que pelo que me contaram não é muito bom, começando pelo fato que o ator do Shuya ser o mesmo que fez o Raito no live action do Death Note e o do Kawada ser magro, sendo que no mangá ele musculoso). Aliás, minha coleção do mangá está incompleta faltando dois volumes aleatórios e os três últimos. Quando fui a livraria em maio não pensei duas vezes e comprei logo de uma vez ao ver o livro na prateleira. Me surpreendi bastante com a grossura do livro, mas pela folheada que dei o ritmo da narrativa dele parece ser bem fluida. Deve dar para acabar em menos de uma semana. Não vou aguentar e devo passar logo para ele depois que terminar o Oceano no fim do Caminho, embora eu tenha outras prioridades de leitura pendente no momento.

E agora os mangás de Sailor Moon como citado na postagem de checklist. Nunca entendi o porque deste mangá nunca ter sido lançado em terras tupiniquins. Pela explicação que a editora deu das tretas com a Naoko Takeuchi, finalmente entendi o porque. Tirando isso de lado, Sailor Moon tem cheiro de nostalgia de infância para mim, foi o único anime que tive o prazer de assistir na Manchete junto com alguns tokusatsus que não lembro mais hoje em dia se era o Kamem Rider ou o Jaspion (também gosto de tokusatsu tá? Aliás, adoro Kamem Rider). E isso foi já no final da Manchete mesmo, não lembro nem quantos anos direito eu tinha na época.

A versão da JBC está com uma qualidade impecável. Esse papel é muito melhor do que o jornal que é usado convencionalmente para mangás. A maioria dos mangás que tenho aqui com papel jornal tem muitos amarelados nas páginas. Esse papel demora menos para amarelar e é mais resistente ao toque. A decisão de publicar mangás em formato tankobon que as editoras tem adotado atualmente é algo excelente. Detesto os mangás meio tankobon que possuo, apesar de que o fator positivo de tornar o preço do mangá mais acessível ainda ser uma vantagem. Dai vem o lado ruim: o preço. 17 conto por mês é algo complicado para mim no momento, mas até que dá para colecionar comprando aos poucos. Pela qualidade o preço tem valido a pena. E querendo ou não, 17 reais ainda é um preço justo perto do que a Nova Sampa tem cobrado no Vagabond (40 reais é de lascar! Preferível comprar a versão inglesa da Tokyopop nesse caso!).

Os livros juntos acabaram ficando maior que a mesa que usei para tirar a foto... Preciso construir um background para tirar as fotos pro blog...
Por último, mas não menos importante, são meus livros exotéricos. Para aqueles que não sabem, sou uma grande aficionada por exoterismo. Gosto de ler sobre o assunto e pesquisar, apesar de sempre manter uma posição neutra em relação ao fato de acreditar ou não. É meio "polêmico" falar disto agora, farei em outra postagem no futuro. Por enquanto vou apenas mostrar o que comprei.

Adoro taro e tarologia, é uma das áreas que mais me encanta dentro das diversas vertentes de adivinhação exotéricas. A coisa mais fascinante sobre o tarô é a simbologia e as suas significações, que são passiveis de mudança de interpretação de acordo com a circunstancia e a situação. De certa maneira, é uma forma de linguagem que é bastante estudada em áreas como a psicologia e a semiótica por exemplo. Dos diversos tarôs, os meus três favoritos são os de Marselha (ou como é chamado "tarô tradicional") o Egipcio Kier (uma releitura do tarô tradicional com símbolos trazidos da mitologia egipicia, que adoro) e o Cigano Petit Lenormand (também considerado "tradicional" por alguns, possui menos laminas e é mais baseado nas cartas de baralho). Pretendo fazer uma postagem no futuro para mostrar os livros e os tarôs que possuo no momento (e vou vender aliás, esperem pela atualização de vendas). Por isso vou deixar uma explicação mais aprofundada para essa ocasião.

Sobre os livros, acabei os procurando mais por conta de adquirir os baralhos que não tinha. Claro, pesquisei um pouco antes para me certificar se o conteúdo do livro era pertinente para analisar se valia a pena a compra. Tenho um livro o qual acompanha um baralho que é muito vago, falarei mais sobre ele na tal postagem que farei futuramente. Depois de um pouco de pesquisa e análise adquiri o Tarô Egipcio Kier e O Tarô de Marselha. Comecei a ler o segundo e o achei bastante convincente e pertinente, fazendo um bom panorama dos estudos de tarô da atualidade e do jogo através dos séculos. Porém ele peca em ser sucinto demais até na hora de explicar a significação das laminas, que é bastante rica. Já o livro sobre o Tarô Egípcio ainda não comecei a ler. Pelo que vi da folheada que dei, esse livro não tem problemas quanto ao fato de explicar sobre a significação das cartas já que possui duas páginas para explicar cada lâmina que compõe o baralho. Cada livro também trás sugestões de como fazer as tiragens, mas não dá exemplos de tiragens e suas significações, acaba não sendo tão didático o quanto deveria.

Por isso acabei optando por comprar a versão completa do Curso Completo de Tarô do Nei Naiff. Essa foi uma compra mais recente: quando comecei a escrever essa postagem final do mês de junho o livro tinha acabado de chegar. Eu já tinha a versão de bolso do livro e gosto bastante do conteúdo dele. Nunca achei outro livro sobre introdução ao tarô em português que fosse tão explicativo e didático como esse é. Folheando o livro, vi que ele tem tudo para cumprir minhas expectativas: possui o mesmo conteúdo do livro de bolso com acréscimo de mais material. O baralho que acompanha tem uma qualidade muito boa: o papel delas é plastificado. Porém notei que com o tempo o plástico pode sim descascar e sair, danificando as cartas. Nem tudo é perfeito.
.
.
.
Isso é o que tenho para o semestre. Se perceberam, essa minha câmera anda me incomodando profundamente com a qualidade das fotos e a mesa que uso de cenário para elas também não está mais suprindo minhas necessidades. :/ Pretendo montar um cenário para as postagens futuras. Mas trocar a câmera, que é o meu sonho, ainda não vai dar ;-; sniff

You Might Also Like

0 comentários

Leia antes de comentar:
Os comentários do Lightning Rose são moderados. Não serão aprovados comentários de natureza ofensiva; que não contenham nenhuma relação com o assunto da postagem; que contenham links externos de propaganda ou spam; ou que contenham números de documentos pessoais.

Para mais informações sobre como funciona a política do blog leia o FAQ.

Agradeço o seu comentário e volte sempre!

Facebook